LÍGIA MÁRCIA ARCURI
SAÚDE BUCAL DE PACIENTE IDOSO

Os pacientes idosos necessitam de cuidados especiais na sua saúde geral, como também na saúde bucal. Muitas vezes a alimentação fica deficitária e doenças oportunistas se instalam devido aos maus cuidados com higiene bucal e preservação dos dentes ou até a falta deles.

Com o envelhecimento surgem algumas necessidades específicas e condições que debilitam os pacientes. Os idosos já representam 12% da população total do Brasil, segundo estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Essa parte da população possui necessidades específicas e merece tratamento diferenciado. E para que o profissional de odontologia possa acompanhar esse rápido crescimento, é preciso manter-se atualizado sobre enfermidades, alimentação e suas características.

O diabetes, problemas cardíacos e câncer são algumas doenças que podem afetar a saúde bucal de pacientes da terceira idade. A perda dos dentes ou o uso de próteses inadequadas também podem causar impactos negativos em suas vidas, principalmente no que se refere à preocupação, estresse e vergonha.



Podemos classificar os grupos de idosos desta maneira:

Independentes: conseguem viver por si só, sem o auxilio de outras pessoas.

Parcialmente dependentes: muitas vezes ou quase sempre precisa do auxilio de um cuidador;

Totalmente dependentes: não têm iniciativa própria, seja por deficiência física ou problemas psíquicos, e necessitam de um cuidador.

Devemos saber lidar com cada tipo de grupo e procurar orientá-los de acordo com suas necessidades. O cirurgião dentista tem papel educador. Ele deve orientar idosos, parentes e cuidadores sobre a importância de observar a saúde bucal no que se refere a presença de dentes quebrados , amolecidos, mau-hálito, manchas brancas ou escuras, cáries,dentes com abrasão causando dores na escovação e com alimentos gelados, feridas causadas pelo trauma de dentaduras mal adaptadas e outros. A devida orientação quanto a limpeza dentária em consultório a cada 3 a 6 meses(de acordo com cada paciente),escovação,aplicação de flúor quando indicado.

Temos casos que o paciente não pode ir até o consultório ,é preciso consultar um profissional que faça atendimento em domicilio ,com equipamentos móveis. O tratamento odontológico deve acontecer tão logo detectado estes problemas. Seu dentista pode trabalhar com os cuidador para desenvolver um plano de tratamento que minimize a dor, odores e o pronto re-estabelecimento da função mastigatória aceitável.

Devemos sempre lembrar que "A Prevenção é o melhor remédio".

Fonte: CFO, IBGE, COLGATE, Direito do Idoso.



Publicidade

  • slide1
  • slide2
  • slide3

Vídeos



  • slide1
  • slide1
  • slide3
  • slide4