Colunista Lígia Márcia Arcuri
Ronco e Apneia do Sono

Se "Dormir Bem" é sinônimo de saúde, logo quem tem dificuldades de ter bom sono tem que ser alertado para este problema. Quem ronca e sofre com respiração entrecortada durante o sono, precisa se cuidar. A hipertensão, arritmias cardíacas e até o acidente vascular cerebral (AVC) podem estar associados a esses distúrbios. Quem está acima do peso também pode manifestar estes problemas de sono.

A Apneia obstrutiva do sono é uma doença na qual ocorrem pausas na respiração durante o sono porque as vias aéreas se estreitam, ficam bloqueadas e frouxas. Como o ronco tem atingido cerca de 40% da população masculina adulta e 35% da feminina, estudos foram feitos para avaliar as causas e soluções para este problema. Na odontologia foram desenvolvidos aparelhos intraorais e ortopédicos que se mostraram eficientes no tratamento juntamente com otorrinos, tendo assim um tratamento multidisciplinar. Esses aparelhos são dispositivos ou placas colocadas no interior da boca.





Às vezes o ronco é aumentado devido a ingestão de bebidas alcoólicas, comida pesada antes de dormir, dormir de barriga para cima, medicações tais como antidepressivos e a obesidade já citada, favorecem a doença.

Segundo Dra. Ayala, esses agravantes ampliam a condição de desorganização do ambiente da orofaringe. Durante o sono, quando o tônus dos músculos da boca diminui, o próprio estado de relaxamento os aproxima, o que resulta no bloqueio da passagem do ar. Se não reparado, o problema tende a crescer e atrapalhar seriamente a qualidade de vida das pessoas acometidas. Associada a outros fatores, a apneia pode levar o paciente a desenvolver insuficiência cardíaca. Além da obesidade, questões relacionadas à funcionalidade das mandíbulas determinam ou agravam o caso.

Tipos de apneia

Existem vários tipos de apneia, que os leigos chamam de "falta de ar e fadiga" durante o sono: "Existe a central, de origem neurológica, quando não há esforço respiratório, e a obstrutiva, causada por flacidez dos tecidos que compõem as vias aéreas respiratórias. Tecnicamente a interrupção total do fluxo de oxigênio através do nariz ou pela boca acontece numa frequência de 5 a 10 vezes por hora de sono e dura 10 segundos. Já a hipopneia compromete o fluxo de ar em 50%. Relacionamos também a apneia mista, que combina as duas anteriores juntas e alternadas", diz a doutora.

Estudiosos dos distúrbios do sono elaboraram um índice para aferir a gravidade dessa bagunça de movimentos respiratórios. Pessoas com índices maiores do que cinco (paradas respiratórias por hora dormida) são consideradas portadoras de apneia.



TRATAMENTO:

O Aparelho usado na odontologia é de acrílico com fios metálicos, ou de material tipo silicone pré –fabricados. Quando encaixado na boca provoca a abertura do espaço da faringe, diminuindo a velocidade do ar inspirado, e por conseqüência as vibrações sonoras que constituem o ronco e as obstruções que provocam apneia.

Testes clínicos demonstram que o avanço mandibular provocado pelo aparelho é capaz de reduzir o ronco em 90% dos casos e os episódios de apneia em 50%. Cabe a nós dentistas alertarmos os pacientes que sofrem deste distúrbio, que há soluções e que devem tratar e prevenir problemas maiores, promovendo assim ,uma melhoria de qualidade de vida, pois um sono tranqüilo é fundamental para o bem-estar geral das pessoas.

FONTE:
Redação Bonde: Corpo & Mente


Publicidade

  • slide1
  • slide2
  • slide3

Vídeos



  • slide1
  • slide1
  • slide3
  • slide4