Colunista Lígia Márcia Arcuri
Será que seu filho respira pela boca?

Temos no Respirador Bucal um potencial paciente com problemas respiratórios, posturais e até com deficites de atenção, prejudicando assim seu desempenho escolar. O ato de respirar pela boca pode trazer mais problemas de saúde que imaginamos, pois este hábito aumenta a chance de infecções da laringe, traquéia e pulmões. Porém, além desses males, os dentes também podem sofrer consequências, assim como o desenvolvimento dos ossos da face.

Existe uma posição correta para que língua e bochecha fiquem, de forma que não exerçam nenhum tipo de força errada sobre os dentes. Ao respirar pela boca, esse equilíbrio é quebrado. "Quando permanecemos a maior parte do tempo com a boca aberta, essa posição é modificada e o equilíbrio de forças muda, aplicando-as inadequadamente nos dentes, que acabam mudando de posição", diz Willian Frossard, especialista em prótese dentária.

Segundo o especialista, a respiração bucal é uma síndrome com sinais e sintomas bastante característicos que facilitam a percepção dos pais, como problemas respiratórios, lábios entreabertos e ressecados com gengivas inflamadas, ronco, sono agitado e pesadelos, entre outros. "A criança baba durante o sono, tem olheiras e aspecto cansado, podendo ficar hiperativa ou sonolenta durante o dia. Respiração barulhenta, comer rápido, mastigar pouco e beber líquidos para auxiliar na hora de engolir também são sinais", afirma.

Quanto antes esses sintomas forem observados e levados a um especialista, mais rápido a criança voltará a ter qualidade de vida. Vale lembrar que ela não precisa apresentar todos os sintomas citados acima para que haja a necessidade de ir ao médico. "A percepção de alguns deles já é suficiente para uma consulta", diz Willian.



Respirar pela boca prejudica saúde bucal

Não usar o nariz para inspirar e expirar pode comprometer a saúde oral e geral de uma pessoa. Desenvolvimento anormal da face e da arcada dentária, sorriso gengival, dentes tortos e gengivite

Prevenção e tratamento rápido são fundamentais

A respiração bucal pode ser causada principalmente por problemas respiratórios como rinite alérgica e hipertrofia das adenóides. "As crises respiratórias muitas vezes se acentuam no inverno e outono devido à variação de temperatura. Crianças com processo alérgico devem evitar ambientes que favoreçam proliferação de ácaros e fungos, além de poeira", alerta o especialista.

E uma vez adquirido o hábito ou a necessidade de se respirar pela boca, o tratamento deve ser iniciado o quanto antes, do contrário, pode haver estreitamento do maxilar, aumento do crescimento da face, sono irregular, impossibilidade de fechar a boca espontaneamente, infecções respiratórias frequentes, aumento do risco e propensão a doenças de gengiva e cáries, alteração de postura, irritabilidade, etc. "Ao menor sinal de uns dos sintomas de respiração bucal, recomendo um tratamento multidisciplinar envolvendo médico, dentista e fonoaudiólogo", diz Willian.



Sinais

- Problemas respiratórios (rinite, bronquite, otite, amigdalite).

- Lábios entreabertos e ressecados com gengivas inflamadas.

- Ronco, sono agitado e pesadelos.

- Baba durante o sono (dorme de boca aberta).

- Olheiras e aspecto cansado.

- Irritabilidade por noites mal dormidas, podendo ficar hiperativo ou sonolento durante o dia.

- Respiração barulhenta.

- Por causa da flacidez na boca e na língua, o processo de mastigação e deglutição também ficam comprometidos.

- Come rápido, mastiga pouco, utiliza líquido para auxiliar na hora de engolir e prefere alimentos pastosos.

- A fala, o sono e a concentração sofrem danos.

Após avaliação e diagnóstico do problema, o tratamento multidisciplinar (otorrino,fonoaudiólogo,e ortodontista) será necessário. O uso de aparelhos ortodônticos e ortopédicos resolverão os problemas de mordida aberta, cruzada ou outros, promovendo assim a reestruturação do sistema orofacial. Os hábitos deletérios adquiridos serão resolvidos se tratados precocemente.



Publicidade

  • slide1
  • slide2
  • slide3

Vídeos



  • slide1
  • slide1
  • slide3
  • slide4