Dr. Edgard Larry
Larry gosta muito de leitura, música ,teatro, futebol etc. Já visitou vários países como: Chile, Argentina, Itália, Espanha, França e outros.

Ex-presidente da Academia Conquistense de Letras. Ex-presidente da Casa da Cultura de Vitória da Conquistense, Ex- Coordenador de Cultura do Município de Vitória da Conquista, Ex- Presidente do Conselho Municipal de Cultura, Especialista em Direitos Novos Direitos Emergentes, Especialista em Direito Processual, Doutorando em Ciências Jurídicas e Sociais, Presidente da Junta Desportiva de Futebol Amador de Vitória da Conquista, membro da Loja Maçônica União e Liberdade Conquistense. Diretor Geral da Faculdade Independente do Nordeste - FAINOR. Professor da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB. Atualmente presidente do Conselho Municipal de Educação.

Como diz Edgard Larry "A vida é preciosa para quem sabe vivê-la".

Norma Eliete - Como se sente ser Presidente do Conselho Municipal de Educação de Vitória da Conquista?
Edgard Larry – Contente em saber que poderei contribuir para com tão importante segmento que compõe a estrutura da educação municipal, com responsabilidade, transparência, comprometimento e, acima de tudo, com a certeza de que o trabalho será desenvolvimento em equipe, representada pelos valorosos Conselheiros que fazem parte do CME, no exercício das várias representatividades.

NE – Sabemos que o profº Luiz Ibiapaba e Silva desenvolveu um excelente trabalho no CME. Quais as metas para a sua gestão?
EL – Estaremos dando seguimento ao trabalho desenvolvido pelo Prof. Luís Carlos da Ibiapaba e Silva, nossa referência de exemplo no campo da dedicação, da firmeza nas decisões, da conduta ética e do contínuo cuidado com a implementação de ações que visam sempre tratar a educação com muito respeito. Estaremos, ainda, nos esforçando em aprimorar cada vez mais as decisões e diretrizes no âmbito da responsabilidade do Conselho, bem como no aparelhamento e contínua agilização dos processos de competência decisória do CME.

NE – Como é o dia a dia de alguém com múltiplas aptidões?
EL – Apenas com disciplina de horários quanto ao cumprimento das tarefas do dia-a-dia.

NE – Sendo artista, o que acha da cultura de Vitória da Conquista?
EL – Nossa terra é um verdadeiro celeiro de artistas. Todavia, precisamos "entoar um canto diferente" quanto a valorização da cultura conquistense. Muita coisa ainda precisa ser feita para que a nossa referência cultural seja um instrumento de projeção ampliada da nossa cidade e dos nossos próprios artistas, nas diversas modalidades das artes. Precisamos pensar e planejar a cultura conquistense de forma mais cuidadosa, mais estratégica e integrada com outras áreas do conhecimento, das transformações sociais, econômicas e políticas, como pilares de integração e compartilhamento de todos, e não de apenas uns poucos privilegiados.

NE – Para você, o que é sinceridade?
EL – É um importantíssimo princípio de vida que devemos sempre praticar, com o escopo de buscar sempre o melhor, com humildade e determinação.

NE – Um momento importante da sua vida.
EL – Ser eleito Presidente do Conselho Municipal de Educação.

NE – Como você analisa o avanço do número de faculdades em nossa cidade?
EL – Com otimismo. As oportunidades existem para aqueles que possuem a grandeza de compreender que o desenvolvimento conquistense e regional vem abrindo espaço para os que fazem educação superior com qualidade e responsabilidade. A competição saudável só aumenta as oportunidades e nos torna um pólo educacional cada vez mais consolidado no Sudoeste da Bahia.

NE – Quantos anos você tem como diretor geral da FAINOR? E como se sente com o grande crescimento desta instituição?
EL – Estou como Diretor Geral da Faculdade Independente do Nordeste - Fainor há seis anos. Um período de superação de inúmeros obstáculos e de muita determinação quanto ao planejamento e execução de seu crescimento. Como costumamos afirmar: somos uma instituição em construção e, cada vez mais, estamos definindo estrategicamente diretrizes e programas que possibilitem a Fainor se consolidar como uma referência educacional do ensino superior.

NE – Qual a avaliação que você faz dessa experiência?
EL – Uma avaliação bastante positiva, pois, temos consciência de que fazer educação exige muita dedicação, tolerância, humildade, competência e ética através das atitudes do dia-a-dia, e ainda, capacidade de diálogo que visa transformar para melhor. Isso tudo compreendemos como escolha e significa aquilo que definimos como área para trabalhar e aprender sempre.

NE – Deixe uma mensagem.
EL – Que possamos sempre atentar para o fato de que a vida é um eterno aprendizado e que as atitudes mais nobres são aquelas pautadas no respeito verdadeiro ao próximo, sem jamais tentar construir pilares relacionais com base na dissimulação, na condescendência e na subserviência.



Publicidade

  • slide1
  • slide2
  • slide3

Vídeos



  • slide1
  • slide1
  • slide3
  • slide4