Dr. Manoel Augusto
MANOEL AUGUSTO SALES FIGUEIRA

Natural de Vitória da Conquista, onde nasceu em 30.10.1943
Filiação :Macário Novaes Figueira e Jaelita Sales Figueira
Graduado em Jornalismo pelo IPI - RJ, em 1966;
Bacharel em Teologia pelo STBSB - RJ, em 1968;
Bacharel em Direito pela UFPA - PA, em 1972;
Especialista em Metodologia e Programação o Ensino Superior - UFBA, 1982;
Especialista em Direitos Emergentes - UFSC - 1992;
Mestre em Direito Público - UFPE, 2002
Curou o Doutorado em Filosofia Política - Universidad Pablo de Olavide - Sevilla - España - 2005-2007;
1° Reitor, para Implantação da UESB, de 1980 a 1981;
Coordenador Regional da Educação da 13° Região, com sede em V. da Conquista, de 1980 a 1981;
Professor Fundador dos Cursos de Administração, Ciências Contábeis, Economia e Direito da Uesb.
Aprovado no Concurso de Juiz do TJBa, em 1989 - exerceu a judicância até out. 2008, aposentando-se
Ordenado Presbítero da Igreja Episcopal Carismática do Brasil em 12 de outubro de 2008
Reitor da Paróquia da Reconciliação da Igreja Episcopal Carismática do Brasil em Vitória da Conquista, desde 12 de outubro de 2008.

Norma Eliete - Quando e em que lugar foi fundado a Igreja Episcopal Carismática do Brasil?
Manoel Augusto – A Igreja Episcopal Carismática do Brasil foi fundada em maio de 1977, quando um grupo de líderes de tradição reformada, sob orientação divina, fez um veemente apelo a todos os evangélicos para que descobrissem suas raízes junto ao cristianismo histórico. Esse chamamento - a busca do resgate de nossas raízes comuns e apostólicas para a transmissão fiel do Evangelho - se tornou o catalizador e fator de motivação para nossa Igreja. Essa veemente convocação denominou-se de Conclamação de Chicago, posto que foi na cidade de Chicago, nos Estados Unidos da América do Norte, que aquele grupo de líderes se reuniu pela primeira vez.

NE – Como é a Igreja Episcopal Carismática?
MA – A IECB é uma Igreja apostólica, ou seja, submete-se aos ensinos dos Apóstolos; é uma Igreja litúrgica onde o Espírito Santo tem liberdade para agir; é uma Igreja Sacramental que crê que o Batismo e a Eucaristia, bem como outros ritos sacramentais são portadores de graça para a vida humana. São eles a confissão, a confirmação, o matrimônio, a unção dos enfermos e as ordens sacerdotais (Bispo, Presbítero e diáconos). É uma Igreja evangélica porque incorporou as doutrinas essenciais da Reforma Protestante do século XVI tais como a Justificação exclusivamente pela Fé, a autoridade da Bíblia, e por fim, somos uma Igreja Carismática, porque amamos o Espírito Santo e cremos na contemporaneidade dos dons espirituais.

NE – Qual o papel da mulher na Igreja Episcopal?
MA – As mulheres têm um papel de destaque na nossa Igreja, embora não sejam ordenadas Presbíteras ou Bispas. Elas podem ser Ministras Evangelistas ou Missionárias. Podem anunciar o Evangelho no Púlpito e atuar em todas as dimensões da missão cristã.

NE – Esta Igreja é muito criativa. Quais os projetos que o Rev. pretende trazer para a nossa comunidade?
MA – De fato a nossa igreja é muito criativa na Missão. Temos inúmeros ministérios que não se detêm às quatro paredes do Templo. Nosso enfoque maior esta centrado na Pastoral Familiar. Estamos absolutamente convencidos de que Famílias fortes é que geram Igrejas fortes. Vitória da Conquista, em termos cristãos será enriquecida com os inúmeros ministérios que pretendemos implantar entre os adolescentes, jovens, casais, solteiros e divorciados.

NE – A sua doutrina se assemelha a qual Igreja?
MA – A IECB é evangélica, e encontra-se firmada na fiel obediência à sã doutrina do Senhor Jesus Cristo. Como já dissemos, é uma Igreja que defende os ensinamentos históricos e indivisíveis do Cristianismo ortodoxo, conforme ministrado por Jesus Cristo, proclamados pelos apóstolos e defendidos pelos Pais da Igreja, claramente expressos nos Credos Apostólico e Niceno. Cremos que todos estes fatores juntos, com Jesus Cristo em primeiro lugar, contenham o depósito significativo da fé e da ordem que foi entregue à Igreja. Cremos que o homem pecador e culpado é justificado por Deus, tendo por base apenas a morte expiatória de Cristo, somente pela fé, e que as boas obras de um santo viver são o fruto e a própria evidência dessa justificação. De sorte que as Igrejas que creem assim têm a sua doutrina semelhante a da Igreja Episcopal Carismática do Brasil.

NE – Qual a tradição?
MA – A IECB adota uma liturgia, em suas celebrações, que de acordo com as tradições de uma religião em particular, consiste num "serviço" ou "trabalho público" e compreende uma celebração religiosa pré-definida. Ela é considerada por várias denominações cristãs, inclusive a IECB, como um ofício ou serviço indispensável e obrigatório. Isto porque estas Igrejas cristãs prestam essencialmente o seu culto de adoração a Deus através da liturgia. Para elas a liturgia se tornou, em suma, no seu culto oficial e público É fundamentada na Igreja dos Apóstolos e anterior ao Novo Testamento. Suas raízes estão na adoração judaica, praticada no Templo e nas Sinagogas, combinada com as celebrações eucarísticas dos cristãos primitivos. Embora variem no grau de solenidade, as Paróquias da IECB observam o Ano Litúrgico da Igreja, seguem o ciclo do lecionário de leituras da Bíblia, e a forma autorizada de adoração nas celebrações dominicais.

NE – Qual foi o maior desafio enfrentado pela Igreja episcopal em Vitória da Conquista?
MA – A IECB é desconhecida, não só em nossa cidade, mas em todo o Estado da Bahia. O nosso desafio, hoje, é nos fazer conhecidos, enquanto Agência do Reino de Deus. Somos uma igreja atraente porque fraterna e amorosa. Damos sempre outra chance, exercemos a misericórdia, somos autênticos, cometemos erros, pedimos desculpas, oferecemos abraços, experimentamos o que é pertencer à família de Deus, e nos amamos!

NE – Deixe uma mensagem.
MA – Nosso grande sonho como Igreja é caminhar juntos com as diferentes Igrejas estabelecidas em Conquista. Não viemos concorrer, mas cooperar na evangelização desta cidade. A Igreja Episcopal Carismática do Brasil é uma Igreja sem as peias do sectarismo fanatizador, tão saliente em nosso país. Uma Igreja sem proselitismo e sem a pretensão de ter a posse exclusiva da verdade ou o monopólio de Jesus Cristo. Uma Igreja sem a presunção salvacionista daqueles que pretendem transformar o evangelho num regime de partido único. Uma Igreja que tem um compromisso claro e sério de lutar pela unidade de todos os cristãos, num mundo já suficientemente dividido. Compreendemos que a divisão da Igreja é um escândalo para o mundo. Por isso, hoje, na Igreja Episcopal Carismática, a unidade é uma luta fundamental.

Para isso, devemos adotar uma postura de enfatizar sempre mais aquilo que nos une, como cristãos, e muito menos o que nos separa. É o que propõe, em muito boa hora, a teologia emergente da convergência.

Estamos absolutamente convencidos de que, como cristãos não realizaremos o ministério da reconciliação no mundo até que primeiro o exerçamos entre nós mesmos, como filhos do mesmo Pai.



Publicidade

  • slide1
  • slide2
  • slide3

Vídeos



  • slide1
  • slide1
  • slide3
  • slide4